Pesquisar no Programero

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Firmada grande parceria em buscas na web

microsoft e yahoo A Microsoft e o Yahoo agora são parceiros, a idéia é unir a tecnologia da Microsoft a força de venda publicitaria do Yahoo. O pilar dessa jogada será a ferramenta de busca Bing, utilizado pelos sites de busca do Yahoo.
Com isso a Microsoft tenciona aumentar sua participação nas buscas on line (que é esmagadoramente dominada pelo Google) enquanto o Yahoo prevê aumentos milionários em volume de negócios (na ordem de US$500 milhões) e redução de seus custos. O acordo entra em vigência em 2010 e tem previsão de duração para 10 anos. 
microsoft x yahoo
Com a informática tendendo cada vez mais para o cenário web, fica claro que os investimentos atuais devem ficar voltados cada vez mais para segmentos voltados para a web. Negociações pela rede crescem e novos mercados e potencias compradores/vendedores surgem a cada momento. O domínio do Google é indiscutível mas aparentemente a Microsoft resolveu de vez entrar na briga, basta esperarmos e ver quem conseguirá se manter nessa nova era que se aproxima.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Desativar o IE?

image Isso mesmo, essa teria sido uma das sujestões da Microsoft quanto as acusações de práticas anticompetitivas na Europa, a Microsoft tornaria possível aos usuários desativar seu navegador além de permitir aos fabricantes de computador escolher e definir outros navegadores como padrão.
image
Os orgãos reguladores receberam bem a proposta , dizendo que dessa forma a Microsoft respeitaria o principio de direito de escolha do consumidor .

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Modelo, visão, controlador (MVC)

Abordaremos hoje uma arquitetura amplamente utilizada, criada pelo cientista da computação Trygve Mikkjel Heyerdahl Reenskaug em 1979 de modo a desacoplar dados e lógica de negócio da visualização do usuário, formando assim a seguinte divisão:

  • Modelo: Representa os dados e as regras de manipulação desses dados;

  • Visão: É a representação gráfica do modelo, dependendo das alterações ocorridas no modelo as mesmas devem ser replicadas para a visão;

  • Controlador: Responsável pela interpretação das interações efetuadas pelo usuário na visão de modo a torna-las ações a serem executadas pelo modelo;
Implementação MVC
(Implementação MVC)
O Framework Struts
Esse Framework (free e open-source) implementa a arquitetura MVC, especificamente para o desenvolvimento de aplicações em Java. Foi criado por Craig R. McClanahan e doado para a ASF (Apache Software Fundation) em 2000.
A arquitetura MVC na prática
Iremos a seguir desenvolver uma aplicação Java utilizando a arquitetura MVC por meio do Framework Struts. Para o exemplo utilizaremos a última versão 6.7 (até a data atual) do NetBeans. O exemplo é um resumo baseado na documentação de exemplo da página do NetBeans, para ver o original acesse aqui.
Visão Geral
Basicamente teremos classes Action representando o modelo, classes ActionForm representado o controlador e as páginas JSP fazendo o papel de visão. Utilizando o Struts teremos a facilidade da organização do framework executando automaticamente entradas no descritor de deployment no web.xml e mapeando as solicitações dos objetos Action no arquivo struts-config.xml.
visão_geral_modelo_mvc
(Visão geral da aplicação)
Criando a aplicação
A criação da aplicação é simples, devemos criar uma página web normalmente acessando Arquivo->Novo Projeto->Java Web-> Aplicação Web.
aplicacao web netbeans
Depois definir nome e localização do projeto.
configurando aplicacao web netbeans
O servidor de aplicações, no caso usaremos o GlassFish mesmo.
configurando glassfish netbeans
Por último e não menos importante a escolha do framework Struts.
configurando struts netbeans
Criando as visões
Para nosso exemplo criaremos duas páginas JSP, uma de logon e outra de sucesso.
A criação da página é normal, Arquivo->Novo Arquivo->Web->JSP, apenas altere o nome para logon.jsp e seu conteúdo deve ser como o da imagem abaixo:
mvc visao jsp netbeans
Repita o mesmo processo (de preferencia defina o diretório dela como sendo a pasta WEB-INF, dessa maneira ela não poderá ser acessada diretamente) para a página de sucesso, apenas alterando seu nome para sucesso.jsp, contendo o código abaixo:
mvc visao2 jsp netbeans
Criando o controlador
O Bean ActionForm é capaz de manter os dados entre as solicitações, no nosso caso as informações poderão ser  exibidas na tela de sucesso se tudo estiver correto ou na própria tela de logon informando um possível erro. Para criar vamos até Arquivo->Novo Arquivo->Struts->Bean ActionForm do Struts, a próxima tela é a de configuração e deve ficar de acordo com a imagem:
controlador mvc actionform netbeans
Nessa classe temos dois campos já com seus Getters e Setters, manteremos o campo nome, excluiremos o campo numero e adicionaremos o campo email e error, apos as declarações posicione o cursor do mouse sobre eles, pressione Alt+Insert e escolha Getter e Setter. Feito isso nossa única alteração nessa classe será no método setError , que deverá ficar como o código a seguir:
public void setError() {
    this.error =
        "<span style='color:red'>Indique valores válidos para os dois campos !</span>";
}
Criando o modelo
A classe Action é o nosso modelo, é aqui que esta a logica comercial, quando os dados do formulário são recebidos o método execute os processa e determina para qual exibição eles devem ser encaminhados. Mais uma vez Arquivo->Novo Arquivo->Struts->Ação do Struts, devemos definir as configurações de Nome e Local de acordo a imagem a seguir:
modelo mvc action netbeans
E a tela de parâmetro deve ficar assim:
modelo2 mvc action netbeans
Agora na classe precisamos entrar com uma definição de fracasso, já que a de sucesso já vem como padrão, e depois configurar nossa regra que ira disparar erro  caso o nome ou o email estejam nulos ou se o email não possuir um “@”.
modelo3 mvc action netbeans
Condições de encaminhamento
Para que as regras desenvolvidas no método execute de nossa classe Action funcione, precisaremos criar entradas forward, associando os resultados obtidos em nossa lógica de negócio as páginas JSP criadas. Para isso devemos abrir o arquivo struts-config.xml e clicar com o botão direito do mouse em qualquer parte da entrada action de LogonForm como mostra a imagem abaixo:
encaminhamento forward netbeans
Quando o menu surgir apos o clique com o botão direito escolha struts e em seguida adicionar encaminhamento, configure de acordo com a imagem abaixo:
encaminhamento2 forward netbeans
Agora  é necessário definir o encaminhamento para falha, o processo é o mesmo, devemos alterar apenas o nome e a página, conforme a figura a seguir:
encaminhamento3 forward netbeans
Finalizando a aplicação
É necessário definir a tela de boas vindas, e nesse exemplo também adicionaremos uma pequena folha de estilos (CSS) que esta junto do projeto final disponível para download. Para a configuração da tela de boas vindas abra o arquivo web.xml selecione a aba Páginas e digite o nome da página de logon.
boas vindas netbeans
Baixando o projeto basta copiar o arquivo stylesheet.css e colar direto dentro do NetBeans em Páginas da Web, feito isso adicione o código abaixo dentro da tag <head> dos arquivos JSP.
Espero que o artigo tenha ficado simples e de fácil compreensão, a versão completa do exemplo pode ser baixada aqui. Recomendo que os links citados na fonte sejam visitados para agregar mais conhecimento e ate, porque não, descobrir novas possibilidades. Mais uma vez me coloco a disposição para esclarecer duvidas, um grade abraço e ate a próxima.
Fonte
Introdução ao framework da Web do Struts

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Tio Bill confirma projeto Natal em PCs

Na semana passada o próprio Bill Gates confirmou que o projeto Natal (tecnologia anunciada na E3 para o Xbox 360) será utilizado também nos sistemas da Microsoft como o Office e o próprio Windows, afirmando que já foram realizados testes no Windows.
projeto natal
Como entusiasta de tecnologia estou bem ansioso com a chegada da quebra do paradigma “teclado x mouse”, que parece cada vez mais próxima, agora é só aguardar os primeiros releases.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Como verificar qual simbolo é o separador decimal (Oracle)

Devido a facilidade para alterar essa configuração e considerando que nem todos seguem o padrão utilizado no Brasil (a virgula “,”) deixar isso estático nas rotinas é complicado, sendo assim segue um SELECT simples que busca o caracter utilizado pelo Oracle:
Ex.:
SELECT TO_CHAR(0, 'fmd') SIMBOLO FROM DUAL;
Retorno:
SIMBOLO
-------
,

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Será que agora o PT ainda segura ele?

Depois de toda presepada já assistida por todos, entre movimentos pela internet, matérias na TV e na internet nosso bigode imortal continuou tranquilamente em seu cargo depois da benção do presidente (que aparentemente não sabe de nada devido a suas declarações), mas agora a coisa toda parece que vai feder mais já que a fundação Sarney repassou verbas da Petrobras a empresas fantasmas (cerca de R$500 mil).
O esquema é o seguinte, a fundação do bigode tem o intuito de manter um museu que cuida de um acervo do período em que ele foi presidente, a Petrobras repassou mais de um  milhão de reais (isso por si só já é um absurdo), ai a fundação repassou o valor referido acima para empresas fantasmas, que pasmem, são da família do próprio Sarney.
Parece que o malandro tem um acervo de incontáveis falcatruas que continuarão a aparecer enquanto ele não sair do cargo, é uma pena que tudo no final das contas se trate apenas de quem fica ou não no cargo, pois isso com certeza já ocorre a muito tempo e não só com ele.
Fonte

sábado, 4 de julho de 2009

A Microsoft e seu projeto Natal

Vi uma noticia bem interessante no Game Nostalgia, que fala da nova tecnologia que a Microsoft anunciou na E3, trata-se de um sistema de controle que utiliza apenas detecção de movimento e reconhecimento de voz.
Eu particularmente já vi uma série de promessas nesse sentido em épocas remotas, até pouco tempo atrás conversava com um amigo sobre tentativas da Sega no inicio dos anos 90, com alguns vídeos bem hilários. Ate mesmo a Nintendo na época teve varias idéias que simplesmente não funcionavam. Com o Wii a historia foi outra, mas mesmo nos fracassos passados como no triunfo recente a exigência mínima era um acessório para a captação dos movimentos e esse é o grande diferencial do projeto da Microsoft.
Segundo a Microsoft, o aparelho combina uma câmera colorida, sensor de profundidade, microfone e processador especial. Diferente de câmeras e controles 2D, o Project Natal acompanha o movimento do corpo do jogador tridimensionalmente, enquanto responde a comandos, instruções e até mesmo mudança de tom na voz. O pulo do gato esta no fato do aparelho ser responsável por todo o processamento, deixando o Xbox livre para o processamento dos jogos e aplicações.
No meio dessa grande promessa esta o brasileiro Alex Kipman, idealizador da tecnologia, vou deixar o vídeo para que todos apreciem e fiquem ansiosos como eu, salve a Microsoft.
Fonte
Estadão
Game Nostalgia

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Queremos Edmar castelão na prisão

Como se não bastasse todas as falcatruas do calhorda que enriqueceu e esbanjou a vontade o dinheiro que não era dele ( e sim de milhões de pessoas que morrem de fome, doenças ou vitimas de violência ) nossa querida casa de tolerância acabou por inocentar o desgraçado.
Eu não duvidaria nada se toda essa comoção em torno do “sai num sai” do dinossauro corrupto tenha, de certo modo gerada para desviar nossa atenção do assunto ( no pé em que as coisas estão e das cifras que esse pessoalzinho tem roubado eu não duvidaria nada se a morte do superpopstar também o fosse, hehe ).
Aderindo mais uma vez ao movimento da Thaís e não deixem de acompanhar o site do Ricardo Rayol para ficarem atualizados nas últimas de nossa política.
image

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Servidores de aplicação e Servlets

Neste post falaremos de desenvolvimento web com o Java, utilizando o NetBeans, criaremos uma aplicação Servlet para trabalhar com o servidor de aplicação GlassFish e veremos como distribuí-la.
GlassFish
O GlassFish é um servidor de aplicações Web open source, baseado no Sun Java System Application platform Edition, sendo 100% compativel com as especificações java EE 5.
Servlet
Basicamente é uma classe da linguagem java que processa requisições e respostas dinamicamente.
Criando um projeto no NetBeans
Após uma breve descrição veremos na prática como fazer uma aplicação web utilizando o servidor de aplicações GlassFish possuindo um Servlet para o processamento de informações enviadas pos uma página jsp.
Selecione Arquivo e depois Novo Projeto, na tela que se abrir escolha Java Web e em seguida Aplicação Web.
img1
Na próxima tela devemos informar o nome do projeto e onde ele ficará armazenado.
img2
Em seguida temos as configurações do servidor de aplicações e da versão do Java EE.
img3
E por fim a definição de possíveis Frameworks a serem utilizados.
img4
Criando o Servlet
Após a criação do projeto devemos criar nosso arquivo Servlet, que em noso exemplo receberá dados de um formulário e irá imprimir um determinado valor, acesse Arquivo, Novo Arquivo e na tela que se abrir Web e Servlet.
img5
Em seguida devemos definir o nome e o local do Servlet, recomendamos que um pacote seja criado para armazená-lo.
img6
Na última tela temos a configuração do deployment, mantendo o padrão para nossa aplicação teste.
img7
Feito isso nosso Servlet estará criado, como mencionado anteriormente vamos editar seu código para que seja capaz de imprimir determinado valor.
image
Criando um formulário
Primeiramente devemos selecionar o arquivo index.jsp, apagar o conteúdo presente dentro das tags <body></body>, acessar a Paleta e arrastar um formulário para dentro das tags mencionadas.
img9
Em seguida será aberta a tela para configuração do formulário, onde devemos informar a ação (nome do nosso Servlet), o método (Post para envio de dados) a codificação e o nome do formulário.
img10
(Configurando o formulário)
Repetiremos o mesmo processo para colocar o formulário, mas desta vez iremos arrastar uma Entrada de Texto (Text Input), configurando de modo que seu nome seja “nome”, do tipo texto e largura 25.
img11
(Configurando a caixa de texto)
Para finalizar nosso formulário precisamos de um botão, na Paleta damos um duplo click no componente botão definindo o rótulo como enviar, o tipo como submeter e o nome como btEnviar.
img12
(Configurando o botão)
Finalizando
Nesse momento nossa primeira aplicação Web está pronta, quando compilarmos nosso projeto (F6) nossa página index.jsp será aberta no navegador padrão, onde deverá ser digitado um nome na caixa de texto e ao clicar no botão Enviar nosso Servlet pegará o valor da caixa de texto e apresentará no browser.
img13
(index.jsp)
img14
(Ação do Servlet)
Baixe o exemplo completo aqui.
Fonte
Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans, Edson Gonçalves