Pesquisar no Programero

terça-feira, 3 de julho de 2012

O que devemos conhecer sobre SQL/Oracle Parte 6: Usando funções de linha única (single-row) para customizar a saída de dados


Descrevendo os vários tipos de funções disponíveis em SQL


As funções de linha única podem ou não receber dados adicionais, parâmetros, realizar um determinado processamento e em seguida devolver um valor. Elas possuem esse nome por serem processadas a cada registro recuperado de uma consulta, e do mesmo modo retornar um resultado para cada registro. Existem basicamente dois grupos dessas funções, as “built-in” que são parte integrante do Oracle e as “user-defined”, desenvolvidas pelos usuários. Quanto a funções de linha única podemos dizer:

  • Funções SQL aceitam um ou mais parâmetros de entrada. Alguns não recebem nenhum;
  • Cada função retorna um único valor, nem mais nem menos;
  • Funções SQL executam tarefas de vários tipos;
  • Funções podem ser incluídas em qualquer lugar de uma expressão SQL, desde que as regras dos tipos de dados sejam respeitadas;
  • Funções podem ser incluídas na clausula WHERE do SELECT, UPDATE e DELETE;
  • Funções podem ser incluídas nas listas de colunas do SELECT, do INSERT e do UPDATE;


Usando funções de caractere, numero e data no comando SELECT

Para um melhor estudo as funções de linha única podem também ser agrupadas pelo seu tipo de processamento, temos, por exemplo, função de manipulação de caracteres como o próprio nome sugere,  de algum modo trabalham com caracteres, isso não quer dizer necessariamente que elas recebem e devolvem caracteres (um exemplo disso é o INSTR, retorna a posição de um texto dentro de outro). Função de processamento matemático realiza desde arredondamentos e truncamentos, ou calculam a raiz quadrada de um valor. Existem também as funções de data, muito poderosas que realizam diferenças entre datas, calculam diferenças entre meses, adicionam meses, verificam o próximo dia, enfim ações relacionadas à data. Existem ainda funções que não se enquadram nos grupos mencionados acima, são funções como o NVL, que verifica seu primeiro parâmetro, caso ele seja nulo retorna o segundo, caso contrário o primeiro, existe também o DECODE que realiza a logica do IF, entre outros. É necessário ter em mente:

  • Funções de caractere incluem limpeza de texto e funções de conversão;
  • UPPER, LOWER e INITCAP manipulam o tamanho da fonte;
  • LPAD e RPAD completam texto com determinados caracteres;
  • INSTR, SUBSTR, CONCAT e LENGTH são usados para separar e unir caracteres;
  • Funções numéricas são usadas para analise e cálculos;
  • TRUNC sempre arredonda sobre zero;
  • REMAINDER e MOD são variações da divisão (resto);
  • Funções de data oferecem uma variedade de características que permitem recuperar séculos, décadas, anos, trimestres, meses, semanas, dias, horas, minutos, segundos, frações de segundos e horários sobre diferentes time zones;
  • Outras funções incluem LEAST, GREATEST, NVL, NVL2, DECODE e NULLIF;


Descrevendo o uso de funções de conversão

Apesar de uma série de conversões automáticas acontecerem é sempre uma boa pratica garantir as conversões entre tipos, é ai que entram as funções de conversão, elas convertem um determinado tipo de dado em outro, algumas vezes podem ate alterar o formato dos dados:

  • Funções de conversão incluem TO_NUMBER, TO_CHAR e TO_DATE;
  • TO_CHAR pode converter de caractere, data, ou numero em caractere;
  • A função de conversão TO_TIMESTAMP pode converter para o tipo TIMESTAMP, que é o mesmo que DATE com a adição da fração dos segundos;
  • As funções TO_DSINTERVAL e TO_YMINTERVAL convertem para os tipos de intervalo INTERVAL DAY TO SECOND e INTERVAL YEAR TO MONTH;


Manipulando dados em diferentes time zones – Usando varias funções de data e hora

Quando uma única base de dados armazena informações de regiões diferentes se faz necessário o uso de funções para tratar as diferenças entre as datas/horários que os usuários desses locais irão gerar:

  • Manipular dados em diferentes time zones pode ser feito com os tipos de dados TIMESTAP, TIMESTAMP WITH TIME ZONE, e TIMESTAMP WITH LOCAL TIME ZONE;
  • A função DBTIMEZONE retorna o valor time zone do servidor do banco de dados (UTC);
  • A função SESSIONTIMEZONE retorna o time zone da sessão local;
  • A função de conversão TO_TIMESTAMP_TZ converte de TIMESTAMP WITH TIME ZONE para o mesmo TIMEZONE, mas com o time zone informado;


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por Participar do programero, fique a vontade para agradecer, retificar, perguntar ou sugerir.